A dor diminui. A gente lembra, sente saudade, quase vai atrás... A gente lembra de novo. E um dia vai lembrar e esquecer.
Cartas pra você

“Vivo procurando palavras que possam me descrever, vivo a vida tentando me descobrir. Quem sou eu? Eu sou o que sou, o que
pensam de mim ou aquilo que sinto? Falar de mim, logo de mim, um assunto que deveria ser “conhecido” da minha parte, de repente me pareceu tão distante de mim. Talvez eu soubesse mais falar daquilo que vejo que aquilo que sinto. Acredito que eu seja uma pessoa boa. Sempre tentei fazer o bem por todo mundo, sempre procurei dar o meu melhor para as pessoas que estão ao meu lado. Modestia à parte, sou a melhor amiga que alguém poderia ter. Dizer isso até parece um tanto desumilde, porém é pelo contrário. Assumo também que sou bem humilde, nunca me achei melhor que ninguém. Na verdade, sempre acho que os outros tem mais a mostrar que eu mesma. Acredito que o meu “eu” possa mudar conforme o tempo passa. O meu ser, é o mundo como eu vejo dentro de mim. É como ajo ao mundo a minha volta. É um tanto quanto constrangedor falar de mim. Sempre quero falar sobre a minha pessoa e quanto mais eu falo, parece que acabo não dizendo nada. Acho que pelas coisas que escrevo agora pode-se perceber quem eu sou. Cada mínima palavra que sai de dentro da gente, entrega um pouquinho do que somos. Talvez seja por isso que acho tão interessante uma literatura… Ah, aí está! Sou quase uma literatura. Dramática, romântica, sensacionalista, apaixonada, compreendida por poucos. Sentida por loucos. Creio que os mais insanos são aqueles que poderiam me entender, afinal é assim como a maioria das pessoas que se aproximam de mim costumam dizer de mim. O que seria ser louco? Às vezes eu fico pensando sobre o assunto e chego a questionar: por quê? Seria eu uma pessoa tão diferente daquilo que você conhece? Será por que eu não consigo esconder as coisas? Será por que tenho empatia? Consigo sentir o que todo mundo sente, por que as pessoas não costumam me entender também? As pessoas são tão diferentes de mim e me sinto um tanto deslocada. Porém ao mesmo tempo me sinto bem. Acredito que seja isso que me faz tão feliz, consigo ser feliz sozinha. Aprendi que na vida, não preciso fazer pelo outro e esperar algo em troca. Porque o teu sorriso é o que me fará sorrir também, mais que qualquer outra coisa no mundo, a felicidade do próximo é o combustível da minha. É por isso que vim ao mundo. Essa é a minha missão, é o que me faz feliz, é o que eu sou.”

desabafosparavocê

4 NOTES - reblog - permalink

“Odeio ser assim. Odeio não conseguir sair com um cara super legal que tá afim de mim, não conseguir me permitir gostar de alguém. Odeio ter que ser 8 ou 80. Daquele tipo: ou me apaixono na primeira conversa ou não me apaixono nunca mais. Odeio não ter a mínima vontade de responder aquelas pessoas que comeriam um vagão de merda por mim. Odeio não querer esses. Odeio querer aquele que pára de me responder, aquele que agarra uma garota na minha frente só para me testar. Odeio o fato de quando eu quero algo, eu quero aquilo e fim. Odeio não conseguir querer outra pessoa, odeio não gostar de programas bobinhos de casais. Odeio gostar de tudo aquilo que me lembra nós dois. Odeio o fato de preferir um relacionamento que comece numa noite de insanidade do que aquele que começa sutilmente numa tarde de conversa jogada fora. Odeio querer sentir a paixão ardendo na pele e caso contrário não aceitarei o seu convite para sair. Mas não ache que me sinto bem com isso, pelo contrário, odiarei o fato de não ter a mínima vontade de aceitar o seu convite.”

desabafosparavocê

11 NOTES - reblog - permalink

“Alguma vez na vida você já sentiu como se tivesse perdido? Não sei como explicar, mas de repente parece que todas as suas certezas se tornaram dúvidas. De repente tudo aquilo que você tinha certeza que tinha esquecido volta à tona ao ouvir uma simples música, ao ver uma mísera foto ou apenas com uma troca de olhares. O que será que tá acontecendo comigo? Parece que num piscar de olhos voltaram um turbilhão de sentimentos que eu havia guardado no meu baú de recordações abaixo de sete chaves… Alguma vez na vida você se sentiu assim? Como se você mesmo fosse pego na mentira que inventou a si mesmo?”

desabafosparavocê

4 NOTES - reblog - permalink

Será que você não pensa em mim nem metade do que eu penso em você?

1 NOTES - reblog - permalink

“Creio que nos conhecemos em outra vida. Desde aquele primeiro dia em que olhei em teus olhos em meio aquela multidão de pessoas, senti algo que tocou meu coração. Logo após olhar aqueles olhos nos meus, reparei que havia também uma aliança enorme na sua mão. Nunca acreditei que um dia poderíamos se quer nos conhecer melhor. Era estranho, eu nem sabia seu nome e tudo que eu queria ver nas minhas manhãs era você. Só olhar você bastava. Trocávamos poucas palavras. Sentei ao seu lado num dia e mal conseguia respirar com sua presença logo ali, mas incrivelmente… Senti que era algo correspondido. Nunca vou me esquecer daquela noite que passamos na praia… Do ciúme que você teve mesmo antes de me dar um beijo se quer, de você me levando até aquela vista maravilhosa. Incrível. Me pareceu um sonho. Eu poderia escrever um livro descrevendo o que eu sinto quando você está por perto, descrevendo cada mínimo segundo. Como o tempo passava rápido ao seu lado e ao mesmo tempo como cada minuto parecia eterno. Você me causa sensações incríveis, um frio na barriga, um coração acelerado, um brilho nos olhos. Sabe o que eu acho? Numa outra vida fomos daqueles casais que ficaram apaixonados uma vida inteira. Afinal, qual a explicação desse sentimento que sei que é recíproco? Qual a explicação desse sentimento tão intenso que não sei controlar? Qual a explicação por eu estar escrevendo sobre você mesmo sabendo que você não me vê há tanto tempo? Não sei… Só sei que você há de ser meu. Só meu em mais umas mil vidas.”

desabafosparavocê

6 NOTES - reblog - permalink

Faço esse post apenas para AGRADECER todos os meus FOLLOWERS! Muito obrigada por reblogarem e darem like nos meus posts. Isso me motiva muito!

0 NOTES - reblog - permalink

“Foram tantos dias que dediquei a você. Foram tantas lágrimas, tantos sorrisos, tanto zelo para que o amor não acabasse… Foram tantas ligações, tantas palavras, tantos presentes, tantos surtos de ciúme… Fomos tanto, senti tanto, mentiu tanto… Por que tanto? Pra quê tanta intensidade? Isso tudo foi pra um dia eu descobrir tudo sozinha? A custo de quê me fez fazer tantas promessas que sabia que não poderíamos cumprir? A custo de quê tanto me prendeu se eu no fundo não era o que você queria? Me pergunto o mesmo há mais de um ano e mesmo assim não encontro uma resposta cabível ao meu amor. Mas sabe o mais triste de tudo? Eu amei você e provavelmente ainda o ame. Porém, o óbvio: não consigo olhar você e sentir o mesmo puro amor - pelo contrário, sinto um amor amargo, um amor que trai o meu amor próprio, um amor desonesto comigo mesma. Porém amo. Apesar de odiar te amar. Apesar de tanto tentar te odiar - de coração.”

desabafosparavocê

10 NOTES - reblog - permalink

“É amargo, não é? O gosto da decepção. É marcante não é? A cicatriz feita por alguém que você amou de todo coração… E eu não consigo parar de me questionar. Tudo sempre vem à tona como se fosse um tsunami, atropelando todas aquelas coisas que eu acreditava que estavam dando certo. Não consigo acreditar que uma pessoa que achei que só queria me fazer e ver feliz poderia trazer tanta infelicidade pro meu coração. Minha vida creio que nunca mais vai ser a mesma desde a mentira que descobri. Provavelmente eu nunca mais vá conseguir respirar com tanta pureza perto de alguém. Conforme a vida passa a gente percebe a realidade descrita em cada conselho dado por nossos pais. Como pode haver tanta maldade no coração e tanto egoísmo? Não consigo entender. Honestamente? Desacreditei em muitas coisas que eu tinha convicção de que existiam.”

desabafosparavoce

10 NOTES - reblog - permalink

“Talvez o texto em que tento dizer quem sou não seja sobre mim. Talvez a pessoa que sou não é aquela que eu achei que era… Talvez esse texto não seja sobre você, nem sobre nós. Talvez seja mais sobre aquilo que fomos e ainda não sei se deixamos de ser. Meu coração que eu achei que estava vazio, está perdido em meio a tantos sentimentos misturados. Não sei se é você, o Pedro, o Túlio ou o André. Não sei. Talvez a falta de alguém é o que me faz voltar ao ponto de partida, me faz lembrar de tudo aquilo que não foi e poderia ter sido. Me faz lembrar dos motivos e até mesmo me faz lembrar quem sou. Espera! Em meio a esses pensamentos todos, esqueci de mim. Afinal, o que tenho tentado dizer? O que tenho tentado saber ou sentir? Não sei mais do que esse texto se trata. Talvez seja sobre estar sozinha. Talvez por estar rodeada de tantas pessoas e mesmo assim me sentir só. Talvez seja por a vida não ser nada simples e a gente ter de viver fugindo do que sente, do que quer pra manter intacto o orgulho ou o respeito. E afinal, o que são essas palavras? Esses conceitos escrotos que colocam em nossa cabeça pra que complique a nossa busca à felicidade… Talvez esse texto seja sobre as reticências da minha vida. Talvez esse texto não tenha o mínimo fundamento. Talvez esse texto seja um pouco de quem ainda há aqui dentro. Talvez esse texto seja sobre mim, sobre mim, sobre nós.”

desabafosparavoce

28 NOTES - reblog - permalink